11/05/2018

LET'S GET REAL FRIDAY - DOENÇA MENTAL

Ando sem inspiração, devem já ter percebido pela falta de publicações por aqui. A minha situação neste momento não é das mais calmas, muito medo pelo meu avô/pai que está bastante doente, e a ter de enfrentar situações que desafiam-me ao mais alto nível mentalmente. Mas hoje vi algo no Twitter que me fez querer escrever. A hashtag era: #ThingsPeopleHaveSaidAboutMyMentalIllness e fez um click mal li. Tantas coisas me passaram pela cabeça desde que a minha doença - ou melhor, os sintomas - começaram a se tornar impossíveis de esconder.
Ao longo dos anos passei por vários médicos (psiquiatras e psicólogos), por algumas medicações que pouco ajudaram e mais recentemente várias visitas às Urgências porque tinha Ataques de Pânico e nem conseguia comer, até finalmente em Agosto do ano passado ter encontrado uma médica psicóloga fantástica que me ajudou a compreender o que tenho ao certo e a dar-me truques para combater as minhas limitações. Estou actualmente numa pausa, por baixa da médica mas pretendo continuar com ela mal volte porque já vi várias melhorias. Melhorias incríveis! Com esta médica tive um diagnóstico mais real: tenho Depressão, Ansiedade e Agorafobia. Ansiedade já muito agravada e Agorafobia ligeira. Antes desta médica, andei no hospital público onde recebi diagnósticos desde Anorexia a "não vamos falar em termos técnicos" quando pedi que me dissessem o que tinha afinal.
Cada vez mais e mais se fala acerca da saúde mental, e vou aproveitar também o facto de Maio ser o mês da sensibilização da Saúde Mental para falar sobre isto. Já chega termos de nos esconder. Esconder uma doença, uma doença que não pedimos ou escolhemos ter. Uma doença incompreendida e gozada por muitos, irreal para outros.

Voltando ao assunto da publicação no Twitter, vou enumerar as mais populares entre amigos e principalmente familiares.
Então cá vai a minha lista de #ThingsPeopleHaveSaidAboutMyMentalIllness:

"Precisas é de arranjar um trabalho" deve ser a minha preferida.
"É é preguiçosa. É tudo preguiça! Se eu fosse os avós obrigava-a a trabalhar!"
"Só porque a vida não corre como queres, não podes ficar assim. Eu com # anos e # filhos tive de me virar sozinha..."
"Quem me dera também não ter de ir à escola." sim, fica com isto que eu preferia ter-me formado!
"Tu nem tentas!"
"A necessidade (responsabilidades recentes de outros que me obrigaram a sair de casa sozinha) faz-nos fazer coisas mesmo quando não queremos."
"És egoísta!" e/ou "Porque és assim?"

Há tantas...

Vou recapitular. É uma doença! É no cérebro, um desequilíbrio químico.  Não posso desligar só porque quero, ou já estaria boa! Não preciso de um emprego porque eu tenho os sintomas esteja onde estiver, esteja a fazer o que estiver. Eu ocupo-me! Eu tenho trabalhos em casa, apenas não tenho um emprego das 9:00 às 17:00, e adivinham...sim, ainda tenho ataques de ansiedade e momentos de profunda depressão em que não quero nem tomar banho. Bolas, não quero nem sair da cama ou pentear-me...

Eu sou o meu pior inimigo, disse a minha médica. E é verdade. Ninguém cobra mais de mim, do que eu... E vou ter de aceitar que provavelmente sempre terei estas duas facetas e a habilidade de passar de uma para a outra em minutos...
-----------------------
Se não conseguem entender, pelo menos respeitem! Tentem. Sejam bondosos. Faz toda a diferença...

Até breve!

Sem comentários:

Enviar um comentário